15/01/2019

Motoristas da saúde denunciam não pagamento de horas extras desde 2017


Texto: Elvécio Andrade

Essa dupla (prefeito e secretário) não resolve o problema das diárias
Os motoristas da Secretaria Municipal de Saúde de Barra de São Francisco/ES estão implorando para receberem o pagamento de suas horas extras, que não são pagas desde junho de 2017. Segundo eles, desde que Alencar Marim (PT) assumiu a prefeitura que não veem a cor do dinheiro.

O motivo da revolta dos profissionais do volante é porque muitos deles trabalham até aos sábados, domingos e feriados, quase sempre saindo de casa por volta de 01h30m, 02h da madrugada para atender casos de urgência ou para conduzir pacientes até a capital e não são valorizados.

“Muitos de nós trabalhamos com prazer e cumprimentos nossa missão, porque é a profissão que escolhemos. Mas assim como sacrificamos nossas famílias, temos quer ser também valorizados. Queremos o pagamento de nossas horas extras, que é direito nosso”, disse um motorista indignado.

Ele, que pediu para manter seu nome em sigilo, disse que o secretário recebeu um parecer da Procuradoria-Geral do Município autorizando negociar o pagamento de horas extras mensais para quem tem a receber acima disso, e aos demais que não ultrapassam o teto, calcular normalmente.

“Vários motoristas têm mais de 90 horas extras mensais a receber. Como o Tribunal de Contas não permite o pagamento a mais de 60 horas, aceitamos a redução, mas nada recebemos até o momento”, disse o motorista, reclamando que só eles cederam e o Município ainda assim não paga.

Segundo o motorista, depois de muito jogo de empurra, prometeram efetuar o pagamento das horas extras em novembro de 2018 e nada. “Desde que aceitamos o acordo que eles estão prometendo nos pagar. A última promessa era novembro, mas o ano acabou e não nos pagaram nada”.

“Contávamos com esse dinheiro para pagarmos dívidas, mas não estamos vendo boa vontade de ninguém em solucionar o problema. Acreditamos no Alencar, mas ele está cercado de incompetentes”, desabafou o motorista. O Cacete News não conseguiu falar por telefone com a secretaria.

Entretanto, alguns servidores disseram a este site que o não pagamento de horas extras não ocorre só na Secretaria de Saúde. Vários outros setores estão com o mesmo problema. E o pior é que o servidor sai a serviço do Município, tem que pagar do próprio bolso e não é ressarcido.




Nenhum comentário:

Postar um comentário